100 QUÊ?!...

100 Maneiras é ausência de regras mas também infinitude de formas

100 Maneiras. Ou Ljubomir Stanisic. Porque 100 Maneiras não se pode dissociar de Ljubomir – nem vice-versa. Sabemos o que nasceu antes – o cozinheiro, em 1978 – mas também sabemos que falar de 100 Maneiras é falar do cozinheiro-jugoslavo-mais-português-de-sempre.

O nome da marca pretende provocar, estimular, fazer pensar. Faz referência à ausência de regras, mas também à infinitude de formas. Porque neste grupo não se querem normas preconcebidas, não se admitem preconceitos. Não há limites para a criatividade. Não se erguem barreiras. Não se limitam as fronteiras. Há tradição e há inovação, conhecimento e imaginação, seriedade e brincadeira. Só não há monotonia.

Ljubo inaugurou o primeiro restaurante quando tinha 26 anos e morava em Portugal há sete. O 100 Maneiras de Cascais esteve aberto entre 2004 e 2008 e deu ao jugoslavo conhecimento (reconhecimento) e experiência. Se o chefe de cozinha diz ter aprendido mais com os erros do que com as vitórias, a falência em Cascais foi um dos revezes que lhe serviu a sorte.

Em janeiro de 2009, depois de abandonar a ideia de se mudar para a China ou Angola, instalou-se no Bairro Alto, em Lisboa, e com a ajuda de três amigos – Fausto e Carla Lopes e Nelson Santos – pôs de pé o novo 100 Maneiras. Este restaurante da Rua do Teixeira foi o primeiro da capital a servir um menu degustação a um preço democrático. Um pequeno passo para a humanidade, uma pequena revolução na cidade.

A cozinha de Ljubo abriu-se a um público cada vez mais vasto, que privilegia o sabor, a descoberta, as experiências, mas dispensa pretensões. E foi essa combinação de factores que, em setembro de 2010, fez nascer o Bistro 100 Maneiras. À sociedade juntou-se, nessa altura, mais um amigo: Nuno Faria, responsável pela zona líquida dos menus.

Neste espaço histórico do Chiado, de inspiração Art Déco, lugar de um dos mais antigos restaurantes do país, convivem a arte e a gastronomia, a música e a coquetelaria, os mais conservadores e os mais excêntricos.

Com dois andares e capacidade para receber cerca de 70 pessoas, o Bistro 100 Maneiras é um hino ao prazer. E esta característica, que congrega tanto, fê-lo arrecadar o prémio que é. por si só, motivo de orgulho eterno: nº 1 mundial nos Monocle Restaurant Awards em 2017 e o terceiro lugar nos mesmos galardões no ano subsequente.

O Bistro 100 Maneiras é um hino ao prazer de estar e partilhar com o mundo as melhores coisas da vida

Bistro significa “limpo e claro” em servo-croata. “Limpo e claro” o espaço, as ideias, a comida. Aqui pratica-se cozinha de conforto, numa escolha feita à carta, com criações inspiradas no receituário tradicional português, “jugoslavo”, francês e italiano, com toque de autor e inspirações trazidas das viagens, vivências e experiências de Ljubo. No menu incluem-se propostas para picar e partilhar, uma secção destinada aos “corajosos”, outra aos “verdes como os campos”, alguns pratos sazonais, sucessos intemporais, tornados impossíveis de substituir, e, claro, um inevitável final feliz (que é como quem diz: bem doce!).

Felizes, também, são as sugestões saídas do bar, vencedor do prémio Coaster 2017 para Melhor Bar de Restaurante em Portugal. Entregues anualmente na final da competição World Class, a mais conceituada competição de coquetelaria do mundo, os Coaster Awards reconhecem o trabalho diário nos melhores bares de cocktails. A chefiar este balcão estão Jorge Camilo e Daniel Zamith, responsáveis por muitas das criações líquidas que lhe dão a fama. A revista Monocle considerou-o o lugar ideal para beber um cocktail em Lisboa…

Partilhar Portugal com o mundo, colocar Portugal nas bocas do Mundo. Mude o que mudar nas ementas deste restaurante mítico do Chiado, nunca mudará isto. Porque é uma certa portugalidade que se exibe, mas também a sazonalidade e, sobretudo, uma localidade sem fronteiras.

Foram estas premissas, esta experiência de uma década, que culminou na abertura (a 28 de fevereiro de 2019) do novo restaurante do grupo, duas portas acima do primeiro (entretanto fechado para obras de remodelação), na Rua do Teixeira nº39. O novo 100 Maneiras não é “só” um restaurante. Não é “apenas” o novo restaurante de um dos cozinheiros mais famosos de Portugal. O 100 é história de vida, da de Ljubomir Stanisic e de muitas outras, de todas (tantas…!) que cabem, couberam e caberão dentro destas paredes que se forram a pedra e veludo, a ruína e luxo.

O novo 100 é feito de carne e osso…

É o mundo que se emulsiona, que nos emociona. E é a emoção que queremos pôr no copo, na pedra, no tacho ou no prato. Porque os 100 Maneiras não são “apenas” restaurantes, são família que come e sente, que bebe e deseja, que olha o mundo com ganas de o sorver. De uma golada – ou garfada – só.